O encontro com os corantes naturais

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Tingimento Natural entrou em nossas vidas mesmo antes da Âme nascer, de início éramos apenas apaixonadas pelas cores que as plantas nos forneciam, ainda não tínhamos prática ou teoria para colocar de fato a mão na massa. 

Quando a nossa primeira coleção ficou pronta, a coleção Alma, as peças estavam todas no tom off white (natural do algodão orgânico) e precisávamos colocar cor ali, mas essa cor tinha que ser sem químicos e produzida de maneira não poluente. Foi então que decidi fazer o meu primeiro curso de tingimento natural e meu mundo se expandiu de uma maneira incrível. 

A partir daí, fiz vários outros cursos, li vários artigos sobre o assunto, errei muito, manchei peças, descobri a influência do PH na cor, da luz solar, o efeito da oxidação, etc. Foi quase um intensivo em química e biologia ao mesmo tempo. 

E por que estou te contando tudo isso? 

Para você conseguir enxergar cada detalhezinho que está por trás das nossas peças, as horas de estudos, os vários testes feitos, as várias peças perdidas. Cada peça colorida naturalmente demanda horas de dedicação, carinho e muito cuidado. Cada peça é colorida por 04 mãos, minhas e da minha mãe Marly (que é meu braço direito nessa jornada no mundo das cores vivas).

E por que é importante saber dos benefícios do Tingimento Natural?

Porque essa é uma técnica milenar, que teve início nas pinturas rupestres das cavernas (sim, aqueles desenhos em paredes rochosas são produzidos com pigmentos naturais), passou por muita pesquisa, muita descoberta, muito erro e ainda é uma surpresa a cada prática. Além disso, o impacto ambiental causado pelo tingimento químico é enorme e muitas vezes não reversível. 

Como nossos tingimentos são feitos?

Todos os tingimentos da Âme são feitos no interior de Minas, na cidade de Itabira, minha terra natal. Em Itabira, tenho mais espaço para colorir as peças, que passam por vários processos até chegarem na cor final. Esses procesos são:

PURGA (limpeza da peça); PRÉ MORDENTAGEM (banho de tanino na peça para ajudar na fixação do extrato); EXTRAÇÃO DO CORANTE (momento em que cozinhamos nossa matéria-prima vegetal para extrair suas cores); TINGIMENTO (colorindo as peças); MORDENTAGEM OU MODIFCAÇÃO DE COR (etapa crucial para alcançar tons específicos, cada planta consegue nos fornecer tonalidades diferentes da mesma cor, isso acontece quando mexemos no Ph desse extrato, tornando ele mais alcalino ou mais ácido de acordo com o tom que queremos alcançar, foto de exemplo abaixo); ENXÁGUE (enxágue da peça em água morna, até não sair mais tinta na água); SECAGEM (esperamos a peça secar no varal e avaliamos se não há manchas); FINALIZAÇÃO (lavagem da peça com sabão de coco e amaciante - usado somente em peças que receberam tingimento em matérias primas com muito tanino, como as cascas de romã).


cartela de modificadores de cor

 

Depois deste processo, levamos a peça para o acabamento final: costuramos etiquetas, pregamos plaquinhas, colocamos os tags, passamos e guardamos no estoque.

Ufa, que super processo né?
Por aqui fazemos todos os tingimentos nas peças já prontas (no caso de roupas), isso facilita o manuseio da peça na panela. Ah, todo esse processo aí de cima é feito seguindo receitas, com quantidade exata de água, de matéria prima tintória, de mordente, etc. 

Quando colocamos o passo-a-passo de um tingimento tão a risca assim, evidenciamos todo o valor contido por trás de cada peça. Para nós é de uma riqueza sem limites poder explorar o universo das plantas e compatilhar um pouquinho dele com você.

Ah, e vale sempre lembrar: todas as matérias primas que usamos são vegetais (não usamos nada de origem animal), biodegradáveis e de fonte renovável. São insumos colhidos à mão por amigos, parentes, conhecidos, vizinhos, mercadinhos da cidade, etc. Temos várias parcerias desse jeito e contamos com o apoio de muitas pessoas para conseguir uma quantidade boa de matéria para tingir. E nós não usamos NADA que poderia ser aproveitado como alimento, sempre usamos vegetais que não estão bons para consumo ou que já foram consumidos (como os caroços de abacate), ou também insumos que não são consumíveis (como cascas de cebola, folhas de árvores, etc).

E para onde vai toda a matéria prima depois que as usamos para tingir?

Para a compostagem, misturamos tudo na terra e fazemos um adubo lindo com elas. .

Como cuidar da sua peça tingida?

Preparamos um material para você baixar e saber como cuidar direitinho da sua peça tingida naturalmente, veja aqui.

 

_________________________

Horário de atendimento da Âme:

SEGUNDA A SEXTA - DAS 10H ÀS 18H | SÁBADOS E DOMINGOS - DAS 10H ÀS 14H

Clique aqui para chamar no whatsapp.